segunda-feira, 16 de abril de 2012

Demóstenes Torres terá que fazer “acerto de contas.O Ministério Público de Goiás (MPE-GO) pode abrir novas ações contra ele

No: O Carcará 
demóstenes-contraventorO inferno astral, ou melhor, acerto de contas do senador Demóstenes Torres parece estar apenas começando. Nem o jornalismo de esgoto do PIG está conseguindo abafar o caso. No Jornal Nacional é assunto de todos os dias.
O Ministério Público de Goiás (MPE-GO) pode abrir novas ações contra Demóstenes Torres, ex DEM e atualmente sem partido, na hipótese de cassação do seu mandato e dos seus direitos civis pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Embora licenciado desde 2001, quando disputou a vaga para o Senado Federal pelo então PFL, o senador tem emprego vitalício no MP e ocupa o cargo de procurador de Justiça, como informou hoje o jornal Tribuna do Norte.
Ainda de acordo com o jornal, caso tenha o mandato e os direitos cassados, o colégio dos procuradores do MPE pode autorizar a abertura de Processo Administrativo Disciplinar, o que acarretaria em ação judicial para a demissão de Demóstenes Torres do cargo de procurador. A ação tramitará e será julgada pelo Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO).
Outra alternativa, proposta por um grupo de promotores, seria pedir a aposentadoria proporcional ao tempo de serviço para Demóstenes Torres junto ao Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), em Brasília. As duas alternativas dividem opiniões a respeito do retorno do senador, que antes do escândalo era considerado o “campeão da moralidade” pelos colegas.
A volta para o emprego vitalício no Ministério Público, se confirmada, dará a Demóstenes Torres, uma série de regalias e afagos econômicos. Por exemplo, terá acesso ao salário superior a R$ 18 mil por mês mais vantagens como férias de 60 dias por ano e retroativos aos últimos 12 anos. Na prática, o senador terá direito a mais de 720 dias de férias - ou quase dois anos -, mais licenças-prêmios às quais tem direito. Só perderá, mesmo, a antiga áurea de herói. “O envolvimento do Demóstenes Torres no escândalo da Operação Monte Carlo respingou no Ministério Público”, afirmou Fernando Aurvalle Krebs, 44 anos, um dos promotores que assumiu publicamente resistir ao retorno do senador.“Não há clima para que reassuma as funções de um procurador de Justiça”, ressaltou. Outros resistem em se posicionar. Entre eles Edson José Taveira, procurador-geral de Justiça para assuntos institucionais do MPE, e Ayrton Vecci, o corregedor-geral, que informou por meio de sua assessoria de imprensa que responderia a questões enviadas por e-mail para a assessoria.
O irmão do senador Demóstenes e também procurador de Justiça há nove anos, Benedito Torres Neto, também evitou a pressão do assunto, e recusou dar entrevistas.
Espera-se que dessa vez diante da amplitude que vem tomando o caso do envolvimento do senador ex-DEMo com o mega bandido Carlos Cachoeira que se encontra preso em Mossoró/RN, que seus pares o puna exemplarmente para que desestimule a roubalheira que atingiu níveis alarmantes no Brasil.
Como sempre cito aqui, já passou da hora do brasileiro deixar o “berço esplêndido” e acordar para a dura realidade dos fatos que com essa roubalheira sem fim desemboca em mortes...
TEXTO COMPLETO NESTE ENDEREÇO:
http://carlos-geografia.blogspot.com.br/2012/04/demostenes-tera-que-fazer-acerto-de.html